3 razões para afastar o hábito da reclamação

Por Paulo R. Käfer*

Sabe quando você está em uma fila e alguém atrás de você começa a reclamar da vida, do trabalho, da situação econômica ou do mundo? Ou quando uma pessoa conversando com você critica tudo e todos sem um mínimo de compaixão?

Será que criticar o sistema resolve os problemas do sistema? Resmungos ampliam o bem estar e trazem felicidade? Quem reclama muito tem sucesso? Lamentar-se fornece paz de espírito e serenidade?

Pensando nisso elaborei algumas razões, reflexões e dicas para que possamos, na medida do possível, espantar o hábito da reclamação para longe, bem longe.

Reclamar é como colocar espinhos no próprio caminho!

Reclamar por reclamar é um hábito improdutivo.  Ainda assim, parece que o ser humano tem uma propensão inata à reclamação. De qualquer forma, quando uma pessoa reclama da vida, ela está cocriando sua realidade e determinando seu estado mental e emocional.

Para mim, o inferno e o paraíso não são lugares, são estados mentais. Ao reclamarmos, criamos o inferno dentro da gente, como se colocássemos espinhos no próprio caminho. Ao cultivarmos a gratidão, geramos contentamento e criamos o paraíso em nosso interior.

Aqui vai uma dica quente: procure tomar consciência de quando você reclama. Isso é muito importante para enfraquecer esse hábito. Muitas vezes, não nos damos conta que estamos reclamando. Antes de afastar um hábito negativo, precisamos reconhecê-lo.

Quem reclama não inspira ninguém!

O verdadeiro sábio não utiliza o precioso tempo que dispõe, para resmungar pelos cantos. Ao invés disso, reconhece suas próprias falhas e procura eliminá-las ao invés de apontar imperfeições no mundo como se ele próprio fosse perfeito. Ao contrário, ele prefere apoiar, incentivar e inspirar as pessoas. E além do mais, quem se lamenta muito, corre o risco de afastar quem estiver por perto.

Quem navega pelas águas da sabedoria, não fala a toa, nem faz especulações desnecessariamente. Coloca sua voz a disposição dos demais, somente quando percebe que suas palavras poderão ser úteis e relevantes aos seus interlocutores e ao mundo.

Você prefere conviver com um resmungão ou com um incentivador?

Pense nas pessoas que você admira e que inspiram você. São “ranzinzas”? Aposto que não!

O Universo recompensa as boas ações e não os resmungos!

Reclamar é prestar atenção e se concentrar naquilo que não está do jeito que queremos. Acho bem melhor dirigir o foco para aquilo que queremos. Essa pequena mudança no jeito de olhar para a realidade causa um impacto positivo nos resultados.

Viktor Frankl mandou muito bem quando disse: “Quando a situação for boa, desfrute-a. Quando a situação for ruim, transforme-a. Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se”.

Mas atenção: focar na solução e naquilo que queremos não significa ignorar o que pode ser melhorado. Também não significa enfeitar a realidade com otimismo ingênuo nem adotar uma postura passiva diante de situações que exigem tomada de decisão ou qualquer tipo de reivindicação justificada. Nada disso.

Apenas dirigimos nossa mente para o que realmente importa. Reclamar da chuva não traz sol. Reclamar do trânsito não faz as pessoas deixarem seus carros na garagem. Reclamar da vida não traz felicidade.

Francamente, as pessoas mais interessantes que eu conheço raramente reclamam. Estão quase sempre com um sorriso no rosto, veem o lado bom da vida e transcenderam o “mimimi”. Talvez elas cultivem a gratidão e concentram-se naquilo que elas podem mudar. De qualquer maneira acredito que o Universo recompensa as boas ações e não os resmungos!

Nas palavras de Henry Ford: “Não encontre defeitos, encontre soluções. Qualquer um sabe queixar-se”.

Quem reclama menos e agradece mais, desfruta mais a vida! Não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar nosso tempo com lamentações desnecessárias.

A vida é preciosa por si só. Mas para desfrutá-la com intensidade precisamos afastar esse hábito ineficaz, agradecer mais e valorizar o que somos, o que temos e quem temos por perto.

A ideia é substituir o impulso de reclamar pelo lindo hábito da gratidão. E se as coisas não estão do jeito que a gente gostaria, ainda podemos ampliar nossa visão de mundo, mudar a forma de pensar ou simplesmente partir para a solução.

Grande abraço, paz na mente e até o próximo texto.


Paulo R. Käfer

Instrutor da Formação de Multiplicadores – Facilitador Coach©  com várias turmas realizadas pela MKaPlus, empresa especializada em ajudar instrutores e facilitadores a terem alta performance e realizarem treinamentos fantásticos.

Mais sobre Paulo.


Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

arrow
Gostou desse texto? Achou relevante? Então que tal se cadastrar abaixo para receber nossa newsletter?

Por favor, deixe um comentário abaixo e compartilhe suas ideias com a gente. Vamos juntos criar um mundo melhor.

Formação de Multiplicadores Banner

Share Button

14 thoughts on “3 razões para afastar o hábito da reclamação

  1. Boa noite, os materiais disponibilizados de forma gratuita são de importância incalculável pois nos posicionam como profissionais e também como seres humanos, precisamos resgatar isso diariamente. Parabéns pela iniciativa.

    • Muito obrigado, Alexandre.
      Essa é a ideia: compartilhar conhecimento relevante e da maneira mais original possível, visando o aprimoramento humano e profissional.
      Fico muito feliz com seu comentário.

    • Bom dia

      Parabéns pelas matérias
      Gostaria de receber este conteúdo no e-mail

      Desde já agradeço

  2. Olá Paulo!

    Ótima matéria. O resmungo além de afastar pessoas, as impede de atingir seus objetivos com mais alegria.

    Abraço,
    Gilberto Nascimento

    • Olá Gilberto. Muito obrigado pelo comentário.
      É isso mesmo. Um dos desafios nesses tempos modernos é alcançar objetivos, preservando a alegria no coração. E reclamação sem foco na solução pode atrapalhar bastante.
      Grande abraço.

  3. Que bom se pudessemos formar uma legião de gratos, olhando para nosso país e focando quanto coisa boa ainda tem nas suas raízes! O mais difícil é que precisamos começar arrumando cada ser humano nesse contexto que você citou no comentário. Seres gratos pela vida, íntegros nos valores, resolvidos nas suas propostas e aí sim, fortalecer uma legião de otimistas e conquistadores da evolução em todos os sentidos . Texto muito bom!!!! abç

    • Exatamente, Rita.
      Também acho que existe muita coisa boa em nosso país, apesar dos problemas. E talvez seja possível formar uma legião de gratos e otimistas, com princípios elevados. O exemplo positivo quem sabe, seja a melhor maneira…
      Valeu. Grande abraço.

  4. Caro Paulo,

    Mais uma vez, parabéns pelo excelente artigo. De uma forma simplista pelo licença para dizer: “faço minhas as suas palavras”. O texto é impecável, simples e direto. Faz-me lembrar um professor que dizia a seguinte frase: ” a vida é simples, as pessoas é que complicam” Uma frase marcante também (não me lembro o autor) é: “a vida é feita de problemas, a diferença está na forma que você os encara”
    Conheço muitas pessoas (e com certeza você também) que reclamam de tudo e de todos, sempre focam o lado negativo das coisas e potencializam os problemas do dia a dia, por mais simples que sejam, transformando-os em monstros, causando angústia não só em si mesmas como também nas pessoas de seu convívio.
    Um forte abraço
    Antonio Carlos

  5. Parabéns Paulo pela iniciativa.
    Ratifico que um olhar pessimista encobre as probabilidades de soluções eficazes, uma vez que, além de contaminar-se com a negatividade corre o risco de afetar família, equipe, setor e objetivos grandiosos.

  6. Muito bom, excelente, compartilho deste texto, busco viver a vida de forma mais leve, mais tranquila, os problemas sempre existirão, as dificuldades também, passaremos por transformações internas no nosso comportamento e assim assumiremos uma nova postura diante de nós mesmos e consequentemente diante da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *