Humildade gera Conexão

Por Paulo R. Käfer*

Como o Facilitador pode gerar mais conexão com seus Treinandos? Existem muitos caminhos, mas talvez um dos principais seja através da humildade autêntica.

Quanto maior a arrogância, menor a consciência. Quanto maior a consciência, menor a arrogância. Parece simples, mas infelizmente, a mera compreensão intelectual desse aforismo não é suficiente. Precisamos refletir profundamente e reconhecer que a arrogância polui nossa mente e pode atrapalhar nosso desempenho no “palco”.

A soberba cria uma distância relacional entre o Multiplicador e o Treinando e consequentemente a aprendizagem fica prejudicada porque ela depende de um bom relacionamento.

Dessa forma, a arrogância não faz nenhum sentido em um ambiente educacional. Aliás, não faz sentido em lugar nenhum.

Curiosamente o termo humildade vem de húmus, palavra de origem latina que quer dizer terra fértil. Traçando um paralelo: a humildade do Instrutor é indispensável na preparação da terra fértil onde as sementes lançadas no treinamento germinarão. Como já disse o grande sábio Confúcio: “a humildade é a única base sólida de todas as virtudes”.

A arrogância é sinal de ignorância e afasta. Humildade é sinal de sabedoria e aproxima. Sentir-se superior não faz de ninguém um mestre. Penso que isso não é maestria, mas presunção. Um mestre de verdade aprende tanto quanto ensina. E para aprender, precisamos de humildade, não de soberba. Aquele que acha que sabe tudo não aprende coisa alguma. E se não aprende como pode ensinar? Ele pensa que está pronto e com isso se fecha para o próprio aprendizado. Portanto, no meu entender, a humildade é o pilar que sustenta a sabedoria. Não existe muito espaço para a maestria onde há arrogância.

Um dos maiores sábios que a humanidade já conheceu foi o filósofo grego Sócrates que na sua infinita sabedoria, paradoxalmente disse: “só sei que nada sei”. Assim como Sócrates, o trabalho do Facilitador não é mostrar que sabe tudo, repassar conteúdos e informações de todo tipo, facilmente encontradas em livros e na própria internet. A sua principal função é promover a reflexão para que os alunos tenham seus próprios insights, uma vez que a transformação é de dentro para fora, como no caso da lagarta que vira borboleta.

Mas isso requer, por parte do Instrutor, um esvaziamento de si mesmo, um rompimento com o “falso eu” e um renascer mais consciente.  Atrelado a isso, um coração puro e uma alma generosa são indispensáveis, características de quem respira humildade e não prepotência.

Talento, brilhantismo e genialidade precisam de um pilar coeso para que se sustentem. Ao subir no “palco”, independente de quantos títulos você possua, de quantos cursos já fez e de quantos livros já leu, gere conexão com o pilar forte da humildade.

Como? Menos certezas e mais dúvidas, menos respostas e mais perguntas inteligentes, menos fórmulas prontas e mais construção coletiva dos saberes. Aliado a isso, uma forte disposição em ouvir com empatia, respeitar todas as ideias e acolher todas as opiniões.

Grande abraço, paz na mente e até o próximo texto.

Paulo R. Käfer


Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

Gostou do texto? Achou relevante? Então que tal se cadastrar abaixo para receber nossa newsletter?


Por favor, deixe um comentário abaixo e compartilhe suas ideias com a gente. Vamos juntos criar um mundo melhor.

Facilitador Coach

 

Share Button

One thought on “Humildade gera Conexão

  1. É muito interessante a abordagem da humildade sincera na comunicação, e como forma de estabelecer empatia na comunicaçao. Temos que tomar cuidado com a forma artificial de humildade, aquela em que o facilitador escuta, mas não ouve, e devolve respostas prontas pela sua pouca capacidade de entender (ou buscar entendimento) daquele que se arrisca a expor suas ideias e sentimentos durante a apresentação. Ouça com o coração e responda demonstrando cuidado e respeito. GIGIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *