Usar ou não usar slides? Eis o dilema!

Por Paulo R. Käfer*

Imagine a seguinte cena: auditório lotado, você na expectativa de assistir uma grande apresentação.

Assim que a palestra começa, o primeiro slide é apresentado: entupido de informações, muitas frases preenchendo quase todos os espaços, um template nada original, pouco contraste entre o pano de fundo e as letras, uma imagem espremida entre aquele monte de palavras e totalmente desconectada com o tema do slide.

Você pensa: aquilo não é um slide, é uma confusão. Uma verdadeira poluição visual. Um pensamento surge repentinamente: se fosse para ler, eu teria ficado em casa.

Duas perguntas que me fazem com frequência: é melhor usar ou não usar slides em apresentações empresariais e treinamentos? E se a opção é usar, qual a quantidade ideal? Não há uma resposta simples, obviamente. Depende de muitas variáveis. Cada caso é um caso.

Slides são bem vindos quando alguém precisa mostrar, por exemplo, imagens, apresentar pesquisas ou dados, desde que sejam visualmente interessantes e inseridos no momento certo, conectados com o tema em questão. Em treinamentos com uma carga horária extensa, slides precisam ser utilizados com parcimônia e intercalados com outros recursos.

A primeira coisa que é preciso lembrar sobre slides é que eles são apenas recursos. Apenas isso: recursos! Os slides não são a sua apresentação. Apenas fazem parte dela. Eles podem oferecer um apoio, uma estrutura, uma sequência e um direcionamento ao seu roteiro. Independente da ferramenta que você escolher, o recurso é tão bom quanto a sua capacidade em utilizá-lo.

A combinação perfeita para o sucesso

De modo geral, qual a combinação perfeita para o fracasso de uma apresentação? Muitos slides, todos eles cheios de informações, planejamento fraco, fala monótona e alguém sem paixão pelo tema. Qual a combinação perfeita para o sucesso de uma apresentação? Slides com excelente design, roteiro impecável e um Facilitador com muito conhecimento e paixão pelo tema.

Com base em mais de uma década realizando treinamentos empresariais, acredite em algo que vou lhe dizer: se você tem muito conhecimento, o excesso de slides pode atrapalhar sua performance!

Quanto mais um Instrutor sabe sobre um tópico, mais seguro se sentirá. Se a pessoa tem muito conhecimento sobre o tema, para que tantos slides? Se ela tem pouco conhecimento sobre o assunto que irá falar, não deveria subir no palco antes de estar muito bem preparada, com slides ou sem. Elaborar uma grande quantidade de slides pode dar uma sensação de segurança na hora do planejamento, mas na hora da apresentação, eles não salvam palestrantes despreparados.

Os elementos que fazem a diferença

O que realmente determina se sua apresentação é excelente ou medíocre, não são os slides que você preparou com tanto empenho. A diferença que faz a diferença é você, o ser humano que você é, sua história de vida, seus talentos, seus dons, sua singularidade, sua personalidade e sua expertise. O que torna um treinamento ou uma palestra memorável e empolgante são os elementos humanos. Os slides, se bem feitos e bem utilizados, dão um toque especial à sua apresentação. Um temperinho, digamos assim.

No caso de realizar uma apresentação sem slides, é perfeitamente viável desde que o palestrante realmente tenha pleno domínio daquilo que se propõe a falar e claro, a sequência da apresentação na sua mente. O êxito da apresentação, nesse caso, vai depender do conhecimento do Instrutor, da sua autoconfiança, da abordagem e da forma de transmitir as ideias.

Ao decidir usá-los, capriche até eles ficarem uma verdadeira obra prima: originais, sublimes, impactantes, surpreendentes e sofisticadamente simples. Pratique a regra menos é mais: menos conteúdo em cada slide e menos slides na apresentação como um todo. É difícil errar optando por um layout clean. 

Cada slide precisa ter uma mensagem clara, coerente e relevante. Do contrário, para que mostrá-lo ao seu público? Entenda que se o seu slide não for significativo para a sua plateia e não reforçar suas ideias, ele não será útil nem para você nem para ninguém. Uma transmissão primorosa de uma ideia genial transcende qualquer slide.

Você começa a se tornar um Facilitador fascinante quando reduz drasticamente a apresentação de informações irrelevantes e passa a proporcionar às pessoas uma nova maneira de olhar o mundo. Usando slides ou não, fale com o coração. Slides perfeitos tecnicamente não superam a necessidade de emoção na condução da mensagem. E não há tecnologia no mundo que supere a paixão genuína e o entusiasmo de um Instrutor comprometido em dar o seu melhor para contribuir com a aprendizagem e a evolução humana.

Grande abraço, excelentes apresentações e até o próximo texto.


Paulo R. Käfer

Facilitador de Treinamentos Empresariais Sênior, com mais de 10 anos de experiência na área. É Instrutor da Formação de Multiplicadores – Facilitador Coach© com várias turmas realizadas pela MKaPlus, empresa especializada em ajudar instrutores e facilitadores a terem alta performance e realizarem treinamentos fantásticos.

>>> Mais sobre Paulo.

Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

arrow
Gostou do texto? Achou relevante? Então que tal se cadastrar abaixo para receber nossa newsletter?

Facilitador Coach

Share Button

4 thoughts on “Usar ou não usar slides? Eis o dilema!

  1. Excelente dica!!! agora percebo que pequei em algumas apresentações na preparação por insegurança.
    Obrigada

  2. Gostei da dica.
    Deste que conheci o Power Point os slides viraram um vício em minhas palestras aqui na empresa onde trabalho, às vezes me deparo com lâminas repletas de textos (poluição visual).
    Vou trocar esse excesso de letras pelas imagens como forma de lembrete pra mim e melhor memorização pelas pessoas que me ouvem.
    Meu objetivo agora é diminuir em pelo menos 20% a quantidade de slides por palestra procurando melhorar sempre a qualidade da informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *