Cultivando a calma e a serenidade no dia a dia

Por Paulo R. Käfer

Eu quero a calma da luz da lua refletida nas águas tranquilas de um lago. Eu anseio pela serenidade da brisa no alto da montanha. Eu aspiro a tranquilidade da gota do orvalho no início da manhã de outono.

Nesse cenário competitivo, onde muitos querem vencer, ter sucesso, reconhecimento, conquistar isso e aquilo, buscar altas posições, poucos parecem almejar a serenidade.

Segundo o francês Michel de Montaigne: “o sinal mais seguro da sabedoria é a constante serenidade.” Eu concordo!

Mas se a serenidade nos leva à sabedoria e a felicidade, essa é a grande pedida para quem está “ligado” na verdadeira qualidade de vida. E talvez, essa busca alucinante pelos holofotes pode até mandar a serenidade às favas…

Na serenidade, mora o verdadeiro poder. Buscar esse estado elevado de consciência é o começo de uma jornada significativa. Por que a serenidade é importante? Quando estamos serenos, tomamos boas decisões, não nos perturbamos facilmente, nos relacionamos bem com os outros, desfrutamos de uma fabulosa paz interior e por aí vai…

Um ponto importante: a serenidade não surge porque desejamos ficar mais serenos. Esse é apenas o primeiro passo. A coisa é um pouquinho mais complexa. A serenidade surge a partir de uma mente treinada. E treino, pressupõe que precisamos praticar. Assim como nos exercitamos para ganhar bom condicionamento físico, a mente também requer algum tipo de treinamento. Existem incontáveis métodos para ficarmos mais serenos. Cada pessoa deve encontrar os melhores meios para isso. É sempre bom encontrarmos uma prática diária que faça sentido para nós.

Algumas práticas simples podem além de trazer serenidade, serem fontes de muita alegria em nosso cotidiano. Vamos a elas.

Torne-se um sábio nas filas

Filas são inevitáveis. Estamos sempre enfrentando alguma fila não é mesmo? O que podemos fazer? Simples: utilizar as filas para treinar nossa serenidade. Podemos colocar um leve sorriso no rosto e fazer o que eu chamo de “atitude de sábio”. Você acredita que pode ser maravilhoso ficar em uma fila? É até divertido. E não precisamos ficar olhando para o smartphone a cada 5 segundos nem ficar dando batidinhas com os pés no chão de maneira aflita. Sábios não fariam isso não é mesmo? Podemos relaxar e desfrutar ao máximo o que só uma longa fila pode nos oferecer: o treinamento grátis da paciência e da serenidade.

A gentileza é o melhor antídoto para a hostilidade

Há algumas situações em que não vale a pena ficar tentando argumentar, se a outra pessoa está decidida a discordar de nós. Podemos evitar entrar em debates e conflitos desnecessariamente. Responder a insultos com insultos não é nada inteligente, mesmo que a gente aparentemente tenha razão.

É essencial não perder a serenidade por causa dos comportamentos alheios. Se por acaso, alguém for hostil com a gente, podemos usar da boa e sempre atual gentileza.

Criticar espanta a serenidade

Criticar o sistema não melhora o sistema. Pessoas serenas não resmungam. Elas inspiram com exemplos e soluções. Reclamar é um hábito aprendido. É um equívoco pensar que, ao reclamarmos da vida, ficaremos mais aliviados. Ao contrário, a reclamação pode “espantar” a serenidade.

Há uma prática simples, que é assim: quando estivermos prestes a reclamar ou criticar algo, podemos mentalmente agradecer o que já temos, como nossa saúde, nossa família ou nosso trabalho, por exemplo. É uma mudança de foco que gera serenidade. Mas claro, tem que praticar. E como temos dádivas para sermos gratos!

Evite responder ao primeiro impulso

Dica básica, mas altamente eficaz e nem sempre aplicada na prática. Podemos, diante de qualquer situação, refletir antes de falar e agir. Entre qualquer estímulo e resposta existe um espaço. Uma mente treinada sabe utilizar muito bem esse espaço para fornecer a melhor resposta que a situação exige e evitar atuar sobre intensa emoção ou de forma impulsiva.

Coloque uma pitada de amor

Precisamos encontrar um trabalho que realmente faça sentido para nós. Algo que a gente adora fazer. Quando colocamos amor em nossas atividades, a serenidade aparece naturalmente. Quando conduzo um treinamento e sinto que estou contribuindo para o desenvolvimento humano e profissional dos meus alunos, surge uma felicidade indescritível.

Mas quando colocamos o salário, o status do cargo ou escolhemos um ramo de atividade que é mais bem remunerada em primeiro lugar e desconsideramos outros fatores como amor e significado, as chances de colher frustração, tédio e desgaste de energia são maiores. Assim nos distanciaremos da serenidade. Acredito que a paz mental advém, em grande parte, de um trabalho feito com amor e excelência.

Informação é alimento para mente

Informação também é alimento. Nesse caso, alimento para a mente.

Precisamos ser cautelosos com o que lemos e assistimos. É sempre bom escolher livros e textos que nos deixem em um estado mais elevado.

Assim como assistir a filmes que contenham uma mensagem positiva e que possam nos inspirar a ser uma pessoa melhor.

Contribuir gera serenidade

Pensamentos egocêntricos limitam o potencial vasto da mente. No final das contas, atribuir uma importância exagerada a si mesmo pode atravancar a serenidade.

No entanto, a melhor e mais bela parte da face humana parece residir na sua capacidade de entrega e doação. Sem querer absolutamente nada, a não ser o ato de dar atenção a outro ser, seja uma pessoa, um animal ou uma planta. É pela atenção genuína ao outro, ao planeta e a nós mesmos que mostraremos que somos verdadeiramente humanos.

Um sorriso, um ensinamento, ajudar uma pessoa a ter melhor desempenho… Pequenas ações generosas são fontes de serenidade para quem doa seu tempo para o outro, de maneira incondicional.

Aquiete a mente sempre que puder

Não há muita chance de sermos felizes, com uma mente aflita, agitada e preocupada. A porta da intuição se abre quando estamos calmos e tranquilos. Se o barulho das preocupações for muito alto, a voz sutil do coração não será ouvida.

Quando aquietamos a mente encontramos serenidade. A serenidade nos ajuda a fazer escolhas conscientes. Dessas escolhas surge a paz de espírito, que é a porta para a felicidade genuína.

Que possamos cultivar a calma e ampliar nossa serenidade para criar um mundo novo, mais humano e repleto de paz e harmonia.

Grande abraço, paz na mente e até o próximo texto.

Paulo R. Käfer


Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

 

Share Button

21 thoughts on “Cultivando a calma e a serenidade no dia a dia

  1. Paz, serenidade, harmonia, é tão difícil nos mantermos em estado de cumplicidade conosco mesmo, mas vocês tem razão, quando nos mantemos serenos conseguimos alcançar o melhor de nós mesmos, tudo parece fluir e se concretizar. a mente se abre e as soluções vem como uma inspiração.

    • É bem isso, Susye. Tudo parece fluir melhor quando estamos serenos: temos bons desempenhos nas atividades, nos inspiramos, temos insights mais interessantes e ficamos em harmonia com as pessoas e com o Universo. E acho sinceramente que a busca pela serenidade é uma bela trilha para a paz genuína.

  2. A tranquilidade traz disciplina e com ela facilidade de entender o foco do problema, por consequencia permite-se a imaginação e criatividade. Esta é uma boa equalização para mapear um problema e como resultado possíveis soluções.

  3. Realmente para ter serenidade é preciso muito treino.
    Mudança de crenças faz a diferença, eu treino exercitando no livro (Um curso em milagres) , esse livro realmente fez toda diferença na minha vida.

    • É isso Roberto. A prática diária da serenidade faz com que a gente amplie nossa calma, gerando bem-estar. E claro, é sempre bom renovarmos nosso sistema de convicções. A melhora no mundo interno faz com que o mundo externo melhore.

  4. Mais um texto inspirador Paulo.!
    Obrigada por nos conceder esta dose semanal de esperança e renovação!
    Um abraço.

    Sandra

  5. Excelente texto. Eu acredito que em paz consigo fluir, criar, entender, ter mais compaixão e altruísmo. Exercitar a calma, o sorriso, gentilezas … O mundo precisa muito disso! Obrigada pelo texto.

  6. Prezados.
    Parabéns pelas brilhantes informações a respeito da serenidade, ou seja, do comportamento humano que a cada dia mostra-se mais doente. Particularmente procuro estar sempre sereno e em harmonia com a vida e com as pessoas, são poucos os momentos que me deixo levar pela emoção e perco a serenidade, é questão de exercitar.
    Minha esposa é o meu oposto, talvez por isso nos amamos, mais procuro sempre colocar ela na órbita da terra, pois ela sempre está correndo no seu dia a dia, e isto as vezes afeta seu equilíbrio e sua saúde. Quando ela se pega a olhar para lua, ou quando desperta para algo natural, percebo que naquele momento ela saiu do seu atual estado, e entrou no mundo da serenidade, embora na qualidade de Gestora de Instituição Pública com tantas responsabilidade, demandas, compromissos, metas, é preciso exercitar muito.
    PARABÉNS!!!!!!

  7. Excelente texto e colocação clara e precisa.
    Quisera as pessoas selecionassem melhor suas leituras. Sem duvidas nenhuma seu texto contribui para um direcionamento positivo em busca da serenidade.
    Parabéns pela abordagem.

  8. Paulo tenho feito leitura de seus textos, estou começando em treinamentos, um grande desafio para mim. Meus treinamentos são sempre de aplicações diferentes e ainda estou engatinhando para armazenar tanta informação, mas entendi que a serenidade vai me ajudar muito. Forte abraço !

    • Olá Luiz Marcos.
      Sim, você está certo. Cultivar a serenidade é muito importante para quem conduz treinamentos, porque lidar com grupos é sempre um desafio.
      Sucesso em seus treinamentos e grande abraço!

  9. Paulo adorei o texto, percebo que a serenidade nos permite ver o possível onde possa parecer impossível. Os textos escritos por você são incríveis. Parabéns.
    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *