O Facilitador Coach e a Aprendizagem Organizacional

Por Paulo R. Käfer e Jaqueline C. Mikulski

Uma questão absolutamente primordial a ser pensada atualmente, principalmente no cenário empresarial é a aprendizagem. Uma empresa só vai para a frente se as pessoas que fazem parte dela estão aprendendo e evoluindo. Continuamente.

Qual a finalidade de se ter um “mundo” de informações fragmentadas a nosso dispor se não estamos efetivamente, aprendendo, desaprendendo e reaprendendo? De que adianta participar de um curso, se não há compromisso com a mudança pessoal e organizacional?

Uma Organização só se destaca no mercado em que atua se for capaz de criar diferenciais inovadores que provém de equipes que aprendem, já que o estoque de criatividade está na cabeça das pessoas e não em estruturas e equipamentos.

Nesse sentido, a educação empresarial precisa ser estratégica e jamais, em tempo algum, protocolar. Se for assim, acreditamos que é melhor nem fazer! Um treinamento para ser efetivo, precisa ser empolgante, inspirador e muito bem estruturado para que haja transformação.

Nesse contexto, é preciso repensar o papel do Instrutor de treinamentos. Numa era permeada pelo excesso informações, é necessário que os educadores empresariais passem a atuar menos na transmissão de conteúdo e mais como Facilitadores do processo de aprendizagem. Evidentemente isso requer uma ampliação de mindset por parte dos multiplicadores do conhecimento e agentes da educação corporativa.

Como costumamos dizer na Formação de Multiplicadores: não cabe ao Facilitador somente ensinar e repassar informações. Sua verdadeira função é despertar no treinando a paixão por aprender. E nesse sentido, importar-se genuinamente com a evolução do aluno é um dos melhores fatores que impulsiona a aprendizagem.

É aí que entra o Facilitador Coach: ele tem a incumbência de ativar potencialidades que já estão presentes nos participantes através de uma abordagem andragógica e humanista. Ou seja, mais centrada na pessoa e menos no programa do curso.

E antes de aprender técnicas, métodos e ferramentas complexas, o Facilitador Coach precisa saber conversar. Parece simples, mas não é. Ouvir com presença, demonstrar interesse genuíno pelas pessoas, perguntar e esperar a resposta, fazer pausas para reflexões conscientes, evitar julgamentos e manter o foco do treinamento no propósito de mudança.

Então a grande missão dos Instrutores de treinamento que estão conectados com as novas realidades é facilitar o processo de aprendizagem e promover um ambiente propício para que ela ocorra, que integre arte, ciência e sabedoria milenar.

O mais notável resultado de um treinamento conduzido por um Facilitador Coach é ampliação de visão dos participantes. É quando houve transformação e pode-se perfeitamente notar o salto quântico da consciência.

Parece desafiador? E é! Mas podemos começar saindo da posição de “vou ensinar” para “o que vamos aprender?”. Uma boa ideia é pensar menos em teorias desconectadas da realidade dos alunos e mais em possibilidades. E boas perguntas com tempo adequado para reflexão somado a atividades em grupo são ótimas estratégias para ampliar horizontes e elevar o potencial humano.

Então, um convite a todos os agentes da educação corporativa: vamos atuar de forma Socrática, Andragógica e Sistêmica para ajudar nossos treinandos a aprender a aprender, porque no final das contas: a resposta está dentro de cada um.

Paulo R. Käfer e Jaqueline C. Mikulski

Criadores do inovador e exclusivo método dos 4 passos do Facilitador Coach © e Treinadores Empresariais da MKaPlus, com mais de 11 anos de experiência em Treinamento e Desenvolvimento.


Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

arrow
Gostou do texto? Achou relevante? Então que tal se cadastrar abaixo para receber nossa newsletter?


Por favor, deixe um comentário abaixo e compartilhe suas ideias com a gente. Vamos juntos criar um mundo melhor.

Facilitador Coach

Share Button

4 thoughts on “O Facilitador Coach e a Aprendizagem Organizacional

  1. Olá Paulo? Olá Jaqueline?
    O tema em discussão é muito interessante, pois em minha visão, o facilitador coach tem como função fazer a ponte entre o saber e o que fazer com esse saber, pois aproveitar o que o colaborador já tem de experiência e mostrar que pode ser compartilhada e/ou transformada, fará com que ele se perceba como profissional e busque melhorar cada vez mais.
    Muito bacana.
    Um abraço.

  2. Jaqueline e Paulo

    Todas as informações que vocês transferem eu tenho acolhido e agradecido a Deus por ter determinado esta missão para vocês a propagarem o saber. Eu ainda não tenho condições financeiras para estar com vocês, mas já faz parte da minha meta, enquanto isso, agradeço toda a atenção e dedicação pessoal e profissional de vocês. Quando chegar o meu momento de estar próximo a vocês, já terei uma base estruturada, considero isto um preparo para tudo de bom que virá a seguir.
    Um forte abraço!
    Joelma

  3. Prezados,
    A experiência profissional que tenho aliada a aprendizagem que este curso oferece é na verdade o que tenho buscado. No momento não disponho de condições em fazê-lo, mas faz parte de meus planos futuros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *