A naturalidade que inspira

Por Paulo R. Käfer*

Alguns dias atrás fui fazer algumas compras e fui atendido por uma funcionária muito atenciosa, animada e sorridente. Ela revelava uma alegria contagiante e uma disposição inigualável. Não aquele tipo de sorriso artificial de quem está tentando ser simpática. O que vi foi um semblante feliz e uma atitude espontânea de quem está de bem com a vida, se importa com o outro e gosta do que faz. Uma fala sui generis e nada mecânica de quem não segue um script decorado de técnicas de atendimento ao cliente. Uma notável naturalidade contrastando com os comportamentos padronizados a que estamos acostumados.

A voz autêntica que vem do coração

Em um mundo onde as poses artificiais, as falas construídas, as abordagens protocolares e as atitudes robotizadas se fazem presentes, eu adoro quando o ser humano se comporta como ser humano e não como uma máquina. Eu amo a voz autêntica que vem do coração. Eu fico altamente inspirado quando o melhor de cada pessoa vem à tona.

O que é mais do mesmo, raramente desperta a atenção alheia, dificilmente surpreende e quase nunca causa impacto positivo. Mas o que é autêntico, original e carregado de verdade inspira e toca o coração das pessoas.

Em tempos de progresso tecnológico, precisamos expandir nossa capacidade de sermos cada vez mais humanos. É aí que a naturalidade se encaixa. E inspira. E aquece um pouco a frieza do mundo.

Congruência

Quem age de modo natural está em perfeita harmonia com o todo, com os outros e consigo mesmo. A naturalidade é um movimento que ocorre de dentro para fora. No meu entender, ela é fruto de um alinhamento entre pensamento, linguagem, sentimento e expressão corporal. Se a pessoa pensa uma coisa e diz outra ou sente algo e age de maneira oposta, o resultado pode não ser dos melhores. Portanto a naturalidade que inspira é a manifestação da congruência.

Em apresentações empresariais, por exemplo, agir e se expressar de modo natural, realçando a própria singularidade é sempre uma boa ideia. Ao contrário, criar um estilo distante da própria essência na esperança de causar impacto positivo na plateia, definitivamente não parece uma boa estratégia. Pode até gerar tensão e nervosismo, o que não contribui em nada para o desempenho. Mas quando nós somos nós mesmos e nos sentimos à vontade com aquilo que a gente é, sem buscar uma maneira idealizada de se portar, podemos usar todo o nosso potencial.

Conexão

Acredito que a maioria das pessoas, de maneira consciente ou inconsciente reconhece alguém que está representando um papel ou tentando passar uma imagem construída. Nesse sentido, naturalidade gera conexão com as pessoas. Artificialismos não. Uma pessoa agindo e falando de modo natural é convincente e transmite confiança.

E quem se expressa por intermédio de gestos ensaiados e reproduz formas de expressão alheias, acaba ofuscando seu próprio brilho, uma vez que este não vem somente do que a pessoa sabe, mas principalmente do que ela é.

E mesmo que uma apresentação seja tecnicamente perfeita, sem naturalidade, ela dificilmente inspira as pessoas. Evidentemente, naturalidade é uma coisa e improvisação é outra. Para uma boa apresentação, um bom planejamento e um bom roteiro não podem ser dispensados.

Agora pense nas pessoas que inspiram você. Elas são uma fiel reprodução de alguém? Provavelmente elas são naturalmente elas mesmas e autênticas em sua maneira de ser.

Quando somos espontâneos e originais em nossas ações, tudo flui tão naturalmente que nossos movimentos se tornam leves e sublimes como o voo de um pássaro.

Se quisermos deixar nossa marca no mundo, precisamos ouvir com atenção o que nosso coração tem a dizer, abandonar “verdades alheias”, pensar por nós mesmos e agir com naturalidade, sempre respeitando a essência de cada ser vivo. Assim quem sabe, possamos ser inspiradores para aqueles que entram em contato conosco.

Grande abraço, paz na mente e até o próximo texto.

Paulo R. Käfer


Todos os textos do blog possuem direitos autorais. Cópia proibida.

arrow
Gostou do texto? Achou relevante? Então que tal se cadastrar abaixo para receber nossa newsletter?


Por favor, deixe um comentário abaixo e compartilhe suas ideias com a gente. Vamos juntos criar um mundo melhor.

Facilitador Coach

Share Button

5 thoughts on “A naturalidade que inspira

  1. Adorei esse texto pois procuro aplicar em meus treinamentos e minhas falas em público o melhor de mim… Adoraria fazer o curso de Formação de Multiplicadores mas no momento não será possível, mas continuarei acompanhando o trabalho de vocês até que surja a oportunidade que espero… Até lá!

  2. É isso Paulo ! A força que emana do nosso coração e traduzida com pinceladas da essência da nossa alma, com certeza só podem produzir o melhor impacto quando exteriorizadas.
    E com isso a gente sente um estado de “tô fazendo algo certo”…
    O dia que estive em um dos seus cursos, comprovei o que você tanto afirma!
    ACREDITAR no mais simples e APRIMORAR o que vem de dentro!
    Valeu grande mestre!
    Abraço

  3. Gostei muito do artigo, estou começando na área de treinamento técnico, ainda não foi possível participar do curso, mas logo que meu orçamento equilibrar quero fazer.
    Valeu Paulo … abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar